Cardápio em Francês

Complexo de Vira-Lata, Agora Até em Sânscrito!!!

No Horti-Fruti de Higienópolis/Santa Cecília, são vendidas  sacolas de Plástico com bonitas ilustrações de Frutas, Legumes e de uma figura mítica feminina em Posição de Yoga.

Lado esquerdo, desenho,  da fruta/legume;  lado direito, o Complexo de Vira-lata Estatelado

 

Cenoura                                                                        Farm fresh Cariotes – Next Right, 1 Mile

Pêssegos                                                                       Fresh Peaches –   1 Mile Ahead

 

Na sacola Yoga/Yogui,  nenhuma  palavra em Português.  Havia Palavras em Inglês e outras em Sânscrito.  Acho que às vezes tentavam formar frases bilíngues, já que havia umas palavras estranhas e um verbo e/ou  substantivo em Inglês.

Misturar idiomas já é esquisito e, muitíssimo provavelmente, as grafias tanto em inglês como em Sânscrito não deviam estar corretas.

História perfeita, já contada aqui, que ilustra não só o complexo de vira-lata, como o péssimo inglês e francês de fachada do brasileiro.

No restaurante, o cliente pede o cardápio em Português.  Pernóstico, o maître informa que não há cardápios em português.  O Cardápio, todo escrito em francês, era de couro e as páginas em pergaminho.  O cliente não tem dúvida.  Tira a caneta do bolso do paletó e começa a rabiscar o cardápio, corrigindo diversas palavras grafadas de forma incorreta.  Devolve para o maître estupefato, levanta-se, vai-se embora, mas antes determina:

– Se não há cardápio em Português, pelo menos escrevam em francês decente!!!

++++++++++++++++++++

Outro dia foi o Complexo de Vira-lata se expressando em “Pseudo Latim”. Agora, em Sânscrito.  Quem sabe, logo mais os Portadores Compulsivos  do Complexo de Vira-Lata não estejam falando/escrevendo em “Paraguaio”.  Para Complexo de Vira-lata em Latim, Clique –

Para Complexo de Vira-lata em Geral, clique –

Em tempo, Complexo de Vira-lata é o sentimento de inferioridade do Brasileiro em relação a Estados Unidos e Europa. “Tradução”/definição  livre minha  do termo de Nélson Rodrigues.

Anúncios

Complexo de Vira-lata Chique, Corporativo; e o Péssimo Inglês Nosso de Cada Dia

Definitivamente, o inglês é a língua oficial do país.  E curioso, como foi publicado outro dia,  americanos, ingleses, canadenses  que vêm trabalhar aqui sempre são alertados de que no Brasil se fala o pior inglês do mundo.  Ou seja, o péssimo inglês é oficial em publicidade, cardápios e pefumarias.  De resto, quem deveria falar bem apenas pensa que fala, lê e entende.  E sapecam os the book is on the table o tempo inteiro, sem o menor constrangimento.

E tome complexo de Vira-lata* (sentimento de inferioridade do Brasileiro em relação a Estados Unidos e Europa, tradução/definição  livre minha  do termo de Nélson Rodrigues).

Resposta automática de email  de amigo meu, homem importante em uma multinacional, que trabalha aqui em S. Paulo,   para avisar que ele está de férias, é em inglês.  Inglês correto, naturalmente.

É provável que  em sua lista de  endereços de email haja muitos gringos.  Assim, a tal mensagem, deveria, pelo menos,  estar nos dois idiomas.  Mas não, falar/usar português é feio , chique é o inglês/”ingreis”. Ou seja, o sentimento de inferioridade do brasileiro, posto em prática, no dia a dia, todos os dias.

História perfeita, já contada aqui, que ilustra não só o complexo de vira-lata, sentimento de inferioridade, como o péssimo inglês e francês de fachada do brasileiro.

No restaurante, o cliente pede o cardápio em Português.  Pernóstico, o maître informa que não há cardápios em português.  O Cardápio, todo escrito em francês, era de couro e as páginas em pergaminho.  O cliente não tem dúvida.  Tira a caneta do bolso do paletó e começa a rabiscar o cardápio, corrigindo diversas palavras grafadas de forma incorreta.  Devolve para o maître estupefato, levanta-se, vai-se embora, mas antes determina:

– Se não há cardápio em Português, pelo menos escrevam em francês decente!!!

Quer conhecer mais histórias de  Complexo de Vira-lata explícito???  Clique aqui