Gols do Fantástico

Doces Bárbaros, Banco com Complexo de Vira-Lata e a Sonoplastia Infame de Sempre no Futebol do Fantástico

Rapidinho sobre TV.

No Fantástico há pouco,  matéria sobre  Os Doces Bárbaros – a saber, Gal, Bethânia, Gil e Caetano, que fizeram disco fabuloso há mais de trinta anos com esse nome.

Amigo meu disse algo por email a respeito dos Baianos.  Comentei que todos os quatro têm mais ou menos a mesma idade.  Entretanto, Gal e Bethânia parecem mães de Gil e Caetano.

Resposta do meu amigo, aliás, refinadíssimo escritor:

– Mães???  Parecem avós!!!

No Intervalo, o Complexo de Vira Lata estatelado (até ficou legal, né??) na Propaganda do Banco Itaú.  Corinho de crianças, cantado musiquinha babaca em inglês sobre change de world.  Alguém pode achar bacana.  Eu acho é muito brega mesmo!!!

Na matéria sobre Campeonato Nacional/Bola Cheia/Bola Murcha,  a babaquice, como sempre, fica por conta da sonoplastia.

Ver TV Sempre rende umas notinhas, né???

Fique com o Bom da Coisa:  Gal, Bethânia, Gil e Caetano, juntos, quando todos tinham mais ou menos a mesma idade (aliás, chutando, acho que os dois são mais velho que as duas) – Clique e maravilhe-se com O Seu Amor

Anúncios

Graças Sem Graça nos Gols do Fantástico

A musiquinha do Fantástico, de acordo com  pesquisas,  desencadeia na maioria dos brasileiros as sensações de fim de domingo, que nem precisam ser descritas, porque todo mundo sabe do que se trata.

A culpa talvez nem seja da Globo, tampouco do Fantástico.

Para compensar isso,  que já colou de forma inexorável ao programa,  diretor, narrador, redator,  editor  dos Gols da Rodada bem que  podiam  se empenhar para poupar um pouco o telespectador de tanta babaquice.

Tirar a sonoplastia já seria imenso progresso.  Redação e locução mais sóbrias,  menos papagaiadas, preocupadas em informar e não em fazer graça,  seriam  muito bem-vindas.

Não é pedir demais, é???

Quando o time ganha,  já é insurportável esse coquetel.

Em dias de derrota, mesmo os não fanáticos, sentem-se agredidos com esse festival  sem tamanho  de sem-gracice.

Famoso cronista contemporâneo já observou, com precisão absoluta,  que a novela da Globo trata de realidade e os repórteres dos telejornais parecem viver aventuras de ficção, escapando de balas e toda sorte de armadilhas/perigos.

Agora, tudo leva a crer que chegou a vez  do futebol-humorístico!!!   Aguardemos, pois, a nova combinação esdrúxula global.  Se uma novidade substituísse a anterior, não seria tão grave.  Problema é que elas vão se somando.  Provavelmente até o infinito e a eternidade.