Ronaldo

Presidente Dilma, O Brasileiro Tem, e em Profusão, Complexo de Vira-lata

Gosto da Presidente Dilma, mas sou obrigado a discordar  frontalmente.  Em resposta às críticas do jogador Ronaldo quanto ao estágio em que se encontram as obras para a Copa,  ela disse que o Brasil não tem “complexo de vira-lata”.  Sinceramente, eu acredito que ela, presidente Dilma, não tenha Complexo de Vira-lata.   Talvez, ela, eu e mais  um punhado não tenhamos sido acometidos pelo tal complexo.

Mas o viralatismo tá solto por aí em todos os setores e atinge todos os tipos de brasileiro; do mais humilde, ao mais bilionário; do mais sem instrução,  aos intelectuais e artistas que participam de campanhas institucionais com slogan em inglês.

Basta  clicar aqui e ler;  você  verá que não exagero, são dezenas de exemplos.

Antes de ler, entretanto, é bom saber que  Complexo de Vira-lata é o sentimento de inferioridade do Brasileiro em relação a Estados Unidos e Europa, “tradução”/definição  livre minha  do termo de Nélson Rodrigues

Agora abra o link, leia e me diga se não estou certo.

 

Anúncios

O Luxemburgo de sempre!!! Engraçado…!!!

Luxemburgo, pelo jeito, é o caso típico do sujeito que, ao abrir a boca, perdeu excelente oportunidade de ficar calado.  Ontem ele lembrou para a imprensa episódio vivido por Ronaldo, na Copa América de 1999, disputada no Praguai, quando ele era o técnico da seleção.  Ronaldo estava gordo e precisava perder peso.

Com a Palavra, o engraçado e oportuno Luxemburgo:

 
“Houve uma experiência muito legal e tenho que contar. Na Copa América, ele precisava diminuir o peso. Conversamos, ele falou que estava acima e tacamos Xenical (remédio para diminuição de peso e que pode causar aumento de evacuações). Ele teve de ficar andando com aquele fraldão e ficava reclamando de precisar usar fralda (risos)”, revelou o treinador.

Legal, extremamente legal; de muito bom gosto, inclusive, relembrar a história nesse momento; aliás, relembrar a história para a imprensa…

Corinthians e Presidente – Vale Tudo; Exceto Falta de Consideração!!!

1. O  presidente Lula tem todo o direito do mundo de fazer as mais que infinitas metáforas dele com futebol.

2. O presidente Lula demonstra  seu imenso bom gosto ao torcer para o Corinthians. 

3. O presidente do Clube Andres Sanches e o ídolo Ronaldo podem  fazer a média que quiserem – e  conseguirem –  para mostrar afeto e até mesmo  bajular o Presidente da República.

Agora,  deixar na mão centenas de torcedores que foram ontem até o Aeroporto de Guarulhos saudar o time e continuar no avião para receber cumprimentos do presidente da República, como fez grande parte da Delegação do clube, em Brasília  – isso não pode mesmo!!! 

Como se diz hoje em dia, o Corinthians deu um perdido na Torcida!!!

Foi, nas palavras de Noel, Um Palpite Infeliz.  Para mim, isso tem outro nome: Falta de Educação, mais grave ainda e, principalmente,  Falta de consideração.

A idéia do evento (usando palavrinha boba da moda boba), segundo a Folha, do Jogador Ronaldo,foi infeliz  e palpites infelizes não faltaram.

A proposta do presidente  Lula ao presidente do Clube de se fazer um pacto para que nenhum jogador ou membro da equipe técnica deixe o Parque São Jorge é Brilhante.  Brilhante, fabuloso, formidável é  um avião que  voe na velocidade da Luz, a cura de todas as doenças, o fim da miséria, etc, etc, etc 
Mas idéias só são brilhantes se forem viáveis, exeqüíveis.  Caso contrário, são apenas palpites Infelizes!!!

Ronaldo no Corinthians – o português, o argentino e a gostosona

Ronaldo  no Corinthians me faz lembrar duas histórias.

O jogador ultimamente estava treinando no Flamengo   O Flamengo queria o Ronaldo no time mas não falava nada.  O Corinthians foi lá e contratou.  Direção do Flamengo e torcedores estão loucos da vida.  Pois bem, eles que aprendam com a história do Português e do argentino.

Em um navio viajavam um argentino bonitão, bem vestido, sempre muito bem barbeado; um português, feio, sempre com camisetas esculhambadas e barba por fazer.  Havia ainda uma mulher muito gostosa.  O argentino ficava o dia inteiro jogando charme para cima dela e nada.  Nos últimos dias de viagem,  o argentino vê o português, de manhã,  saindo do camarote da mulher.  Inconformado, vai falar com o Português:

– Português, como é que pode?  Eu todo bonito, bem arrumado e não consigo nada com a mulher.  Você, feio,  esculhambado, consegue!!!

O português  pergunta:
– Tu pediste???

O argentino:
– Eu não.

O Português:
– Eu pedi!!!
Cartolas e flamenguistas aprendam, pois, a lição!!!

O momento é de festa e eu conto a segunda história outra hora.