Tancredo Neves

Casos de Tancredo Neves – Esse virou Metamitologia!!!

As histórias envolvendo Tancredo nem são mais do folclore.  Foram promovidas:  são da mitologia.  Essa então, que ninguém prova ser Tancredo o protagonisa, já  faria parte da metamitologia, mitologia em cima da mitologia.

Tancredo teria combinado com cinco amigos que  todos eles  levariam R$ 100,00 para pagar Caronte, barqueiro da  mitologia grega que leva “os mortos até o outro lado do Rio Estige, que separa o mundo dos vivos do mundo dos mortos.” Combinaram que nos velórios, cada um dos amigos  colocaria R$ 20,00 na mão do morto para ele pagar pela travessia.

Na morte do primeiro, todos os quatro cumprem  o combinado.  Tancredo recolhe as quatro notas de R$ 20,00 e preenche um cheque de R$ 100, 00 que põe na mão do morto.

Olha, se o Tancredo fez ou não fez isso, ninguém nunca vai saber!!! Mas eu acho que deveria ter feito, sim. Tem o mesmo charme que dizer para o espertinho:

– Exatamente, você diga que eu o convidei e você não aceitou.

Se quiser ler  a respeito do convite que nunca foi feito, clique aqui

++++++

Infelizmente, acabaram-se os casos que eu conhecia envolvendo o sagaz Tancredo Neves.  Quem conhecer outros, pode me mandar.  Pesquiso se não se trata de metamitologia e publico

Anúncios

Casos de Tancredo – O Segundo. Fardo Pesado

A segunda história de Tancredo Neves, a mais fraquinha das três.

Sujeito chega para ele e diz:

– Preciso contar um segredo ultra secreto para o senhor.

Ele não tem dúvidas:

– Meu caro, se você não consegue carregar esse fardo sozinho, não queira dividir comigo.

E afastou-se.

Casos de Tancredo Neves – O primeiro. Convite!!!

A habilidade de   Tancredo Neves  com as palavras e na arte da política  fariam  Neymar parecer um principiante sofrível  com  a bola nos pés.

Um exemplo???

Desde que entrou na política, Maluf foi ladrilhando, por quase trinta anos,  pedrinha por pedrinha o caminho que o levaria à Presidência da República via colégio eleitoral em 1985.

Pois bem, em pouquíssimo tempo de campanha junto ao Colégio eleitoral,   Tancredo faz  implodir o trabalho de décadas de Maluf, sendo ele o escolhido para Presidente.  Não toma posse por motivos de saúde.  Sarney, seu vice, assume.

Com esse grau de habilidade no atacado, imagine a fera no varejinho do dia-a-dia da política.

Lendas   ou  verdades, há três episódios formidáveis.  Hoje, apenas um deles.  Talvez seja o mais engraçado, mas os outros dois também são razoáveis.

Tancredo havia sido eleito para governador,  ou outro cargo do executivo.

Chega para ele um político, com aquela conversinha típica de político  e lhe diz, tentando jogar verde para colher maduro.

– Governador, ouvi dizer que o senhor está pensando em mim para a chefia da Casa Civil.

Tancredo não teve dúvidas.

– Exatamente, meu filho.  Você diga que eu o convidei e que você não aceitou!!!