Um Ano Livres da Fumaça de Cigarro!!! Que Tal Agora uma Lei Anti-celular???

Amanhã a Lei Anti-Fumo completa um ano.  Até onde eu sei,  ninguém morreu por não poder fumar em locais especificados  pela legislação. 

Três dias antes do começo da vigência dessa lei, escrevi texto aqui no Boca sugerindo que  nos mesmos lugares onde estivesse proibido o cigarro, fosse proibido também o celular.

Agora que fumantes já estão conformados, era um bom momento de por em prática o que sugeri na época.   Colo o texto a seguir.

++++++++++++++++

Ficar isento de fumaça de cigarro, cachimbo e  charuto em locais públicos, como vai acontecer a partir dessa sexta-feira em todo o Estado de S. Paulo, já é um imenso alívio. Entretanto, lei fundamental para  restabelecer um pouco do sossego que se tinha há cerca de 20 anos ainda precisa ser promulgada.

A lei antifumo proíbe o fumo em ambientes fechados de uso coletivo e até mesmo cobertos, tais como terraços/varanda de bares e restaurantes.  Pelo que se deduz, cigarros, cachimbos e charutos só serão permitidos nas calçadas, no meio da rua e dentro de casa.  Excelente!!! 

Pois bem, alguma santa autoridade poderia ter o bom senso de se empenhar e conseguir aprovação de  lei determinando  que nos mesmos lugares onde o fumo passa a ser proibido, também fique interditado à pior praga dessas duas últimas décadas:  o uso do famigerado/inoportuno celular.  Quando falo interditado, digo interditado mesmo.  Não pode ser emitido qualquer sinal sonoro, como as infelizes musiquinhas, ruídos, campainhas.  Fazer ligação ou atender ligação, nem pensar!!!

Conhecido meu estava em sofisticado clube na Argentina. Sacou do celular e começou a falar.  Na mesmo instante, atencioso funcionário lhe diz:

– Se o senhor  quer mesmo e precisa falar no celular,  nós temos cabines para isso.  Ficar aqui no meio do salão e falar no celular não é permitido!!!

O que precisa é isso – cabines telefônicas espalhadas pelos lugares.  O cigarro não é proibido, o Álcool não é proibido.  O que não pode é fumar em lugar fechado e nem guiar automóvel depois de beber.  Da mesma forma, celular continuaria sendo totalmente livre – sem emitir ruídos  e limitado à uma cabine telefônica. Simples e lógico. É civilizado!!! É democrático!!!  Autoritarismo é impor às pessoas em volta campainha conversas e gritos que ninguém é obrigado a suportar.

Os que lerem isso serão radicalmente contra.  A razão é muito simples.  Antes dizia-se que a liberdade de cada um vai até onde começa o direito do próximo.  Essa lógica foi invertida completamente. Hoje  é assim – a liberdade é ilimitada, o direito do próximo que se dane!!!  A respeito dessa nova concepção de vida,  dá até para juntar dois termos freqüentes  aqui no Boca no Trombone:   o que mais se vê por todos os lados é BÚFALOS NADANDO DE BRAÇADA!!!  E os incomodados que reclamem  pro Bispo, como se dizia tempos atrás.

++++++++

Tá vendo, já faz um ano que os búfalos fumantes foram restringidos em suas braçadas ou tragadas.  Não seria o máximo  se os búfalos dos celulares também fossem restritos a gritar só dentro das cabines, como no clube argentino???

1 comentário

  1. Muito bom. Sou totalmente a favor da lei anti fumo. Já o celular… kkkkk. Normalmente desligo quando estou com minha família, pois não gosto de ter meus momentos familiares interrompidos. Mas concordo que deveria haver algum tipo de lei restringindo seu uso. Acredita que um dia estava na igreja, num culto evangélico e uma irmazinha teve a pachorra de ir ao culto com o celular ligado. Pior, teve o disparate de sequer colocar no vibra call. Resultado: o telefone tocou no meio do culto e o pior foi que ela atendeu. E do outro lado deveria estar uma outra “tia”, que deveria estar dizendo: “Não to te ouvindo!”, porque a irmazinha no culto falava cada vez mais alto e perguntava: “Tá me ouvindo? Hein? Alô, cê tá me ouvindo?” Não sei se a “tia” do outro lado estava ouvindo, mas a igreja inteira ouviu. Chato, não?
    Sempre desligo o celular quando estou com minha família, mas caso contrário… Mas me lembrarei disso e quando estivermos em reunião, num café um dia desses, prometo que desligarei o celular! Ou pelo menos deixarei no vibra para retornar as ligações perdidas. Um abraço
    +++++
    Cris:

    Estou vendo esse seu comentário de uma lan house. Assim, não posso responder como gostaria. Mas é isso aí: vc é bem educada. A impressão que tenho é que qualquer chamado no celular, ainda que engano, para o usuário, é muito mais importante do que o amigo que está ali com ele conversando.

    Um abraço

    Paulo Mayr

  2. Mandou os incomodados pra lugar errado: já vi Bispo falando ao celular.
    Entendo que as pessoas deveriam ser educadas, “se mancar” (Semancol – um remédio do meu tempo), é feio falar ao celular em público. Já vi e ouvi (porque a maioria de quem usa em lugar público tem também o hábito de falar alto) a pessoa falar em aglomeração de aeroporto, em missa de sétimo dia, em altar de casamento (não estou gozando não !!!), e por ai vai. Outro dia, sentei no City Bar em Campinas pra gozar (ai, como é bom gozaaaaaaaaar) um merecido descanso regado a uma boa cerveja de garrafa. Pois bem, sentou-se a mesa ao lado um chato de celular na orelha. Todo mundo ouvia o que ele dizia a uns trinta/cinquenta metros. Tentava a reconciliação com a mulher, sobraram frases “eu mudei”, “agora os negócios estão indo bem”, “tive uma idéia legal de investir num hotel pra pescadores que estava abandonado” (tenho certeza que os negócios voltaram a ficar mal), “voce não me entende”, “não suporto a tua mãe”, “por que vc nao deixa as crianças falarem comigo?”, “vc é amante daquele f.d.p. do advogado?” e foi baixando o nível. Uma pena, gosto do City Bar, onde desfilam as mais esquisitas figuras, mas todas “na sua”, discretamente, vendo o movimento da rua, chamando o garçom pelo nome, etc. O chato e o seu celular destruiu o encantamento.
    Se precisar de minha assinatura pra entrar com movimento “regulamentar celular” conte comigo. Um abraço
    ++++++++
    Caro Samuel:

    Alguma coisa precisa ser feita urgentemente. A idéia de cabines do tal clube argentino e boa. Construir cabines é dispendioso e, ocorrem-me agora, talvez uma solução fosse: as cabines seriam recomendadas e onde não houver cabine, o celular fica liberado só no banheiro, desde que não tenha ninguém usando o banheiro, naturalmente.

  3. – Diz que celular dá câncer.
    – Celular É o câncer.
    +++++

    Caro Vasqs:

    Não sei se vc criou para comentar meu texto, ou já é coisa antiga sua.
    Acho que esse é um texto terminado bem no seu estilo. No seu lugar, tacava ele no Ostras.
    Ostras, para quem não sabe, é o blog do Vasqs.
    Quem quiser conhecer, clique aqui

    Abraços, caro Vasqs
    Paulo Mayr

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s