O Múltiplo e o Eterno

Antes, eu tinha uma frase:

“Meu passaporte de Cidadão Paulistano é o bilhete múltiplo de metrô que sempre trago comigo”.

Hoje, meu Visto de Entrada no Céu é o cartão de idoso do metrô que substituiu o bilhete múltiplo.

Agora, muito mais do que múltiplo, é eterno.

Sarau e Poesia na Faixa Neste Fim de Semana

Para quem gosta de Poesia e Sarau, o fim de semana tá ótimo.  Amanhã, sábado,  as irmãs Ana e Paula  Martins e a amiga Joicenéia  apresentam 48ª Edição ( quatro anos completos)  Eita (  (Encontro Integrado de Todas as Artes) Sarau, no Julinho Clube Rua Morato Coelho, 585, Pinheiros, a partir das 19 horas. Fone 3430-2985.  Domingo é Poesia na Faixa.

No Eita, haverá Pocket Show com Pedro  Osmar e Loop B e o Imperdível Ricardo Kelmer. Como o próprio nome diz, o palco é aberto qualquer tipo de manifestação artística.

Divirta-se com O Brega não Tem Cura do Kelmer.  Clique aqui .  Difícil resistir, né?

E Domingo, depois de amanhã, tem Poesia na Faixa, dos Poetas do Tietê, a partir das 13 horas na Praça Dom Orione, no Bixiga.

Jovens poetas com megafones lêem e distribuem impressas poesias próprias ou de autores famosos  para os pedestres que estão aguardando para atravessar a faixa e também para os motoristas que estão parados enquanto  os pedestres atravessam a faixa. É agito bem legal.  Pode comparecer para ler e/ou distribuir seus textos.  Assista ao vídeo do  Poesia na Faixa de setembro de   2013 .  Clique aqui

Gostou???  Apareça amanhã e depois para conferir.

 

Armando Marques Já Deve Estar Tomando sua Cervejinha Com o Amigo Denner

Contar  histórias curiosas e até engraçadas envolvendo pessoas que acabaram de falecer é frequente aqui no Trombone.  É minha forma de homenageá-las.

Morreu hoje Armando Marques, juiz de futebol, famoso por seu rigor em relação ao jogo e também aos seus trejeitos delicados.

Primeiro o tal erro que mudou a história do Campeonato Paulista de 73, que você já ouviu hoje no noticiário.  Entretanto, tem caso muito mais divertido.

Cometeu erros históricos, e até primários, como todo mundo. Numa decisão por pênaltis, no Final do Campeonato Paulista de Futebol de 1973, entre Santos e Portuguesa, o Santos vencia por 2×0. Ele deu por encerrada as cobranças e o título para o Santos. Acontece que restavam dois pênaltis ainda a serem batidos e a Portuguesa, teoricamente, poderia empatar. Por conta desse erro, o título foi dividido entre os dois clubes.

Mas ele era considerado o melhor árbitro enquanto esteve em atividade. Era enérgico com todo mundo e impunha muito respeito e disciplina. Outra característica sua, como já foi dito,  eram os gestos excessivamente delicados, se me entendem.

Lá vai a historinha divertida:

Amigo do aristocrata e grande costureiro Denner, que morava nas imediações do estádio do Pacaembu, Armando, sempre após apitar jogo ali, ia à casa dele para uma cerveja.

Em um desses jogos, provavelmente após algum erro acompanhado dos famigerados trejeitos, as arquibancadas gritam sem parar:

- BICHA, BICHA, BICHA!!!!

O mordomo do amigo vira-se para o patrão e diz:

- Seu Dener, acho melhor eu já colocar a cervejinha do seu Armando no gelo!!!

 

Boas cervejas e bons papos por toda a eternidade para vocês!!!

 

 

Muita Clara e Blá-Blá-Blá Para Um Mero Suflê!!!

“Deem-me o supérfluo e eu dispenso o essencial”, disse Oscar Wilde.  Eu digo que para mim o supérfluo e o essencial são  essenciais.

Contrariando a minha teoria, ocorreu-me uma boa gracinha gastronômica:

Deem-me o suflê que eu dispenso o essencial.

Mais sobre suflê.  Acho que já contei aqui no blog.   Minha cunhada soube que a nova cozinheira fazia suflês perfeitos.  Combinou com ela que faria um jantar à base de suflês.  Simpática, mas profissional, a empregada foi taxativa.

- Tenho o maior prazer em fazer o jantar de suflês.  Mas as visitas precisam ser pontuais.  Porque o suflês não espera os convidados.  Os convidados é que esperam o suflê.

De fato, o suflê murchou, virou uma gororoba.

Concluindo1, foi apenas uma gracinha gastronômica, pois certamente não existe uma única comida que se coma com prazer todos os dias, ainda que se façam variações sobre o tema.

Concluindo2, mesmo estando delicioso o suflê de há pouco, o próximo só daqui a alguns meses.

 

A Absurda Entrega da Copa do Mundo aos Campeões. Na Próxima vez, a Copa vai pelo Correio.

Tempos atrás, na Copa do Mundo do Japão, se não me engano, não havia Pódium para os Campeões do Mundo. Cafu, capitão do Brasil, que venceu o campeonato, ao receber a Copa, subiu no pedestal onde se encontrava o troféu, correndo sério risco de a estrutura não agüentar seu peso,  abrir-se em lascas, ferir-lhe a virilha e encerrar ali sua carreira de futebolista de sucesso.  Fez isso para provar que ali a figura Importante era o Esportista e não aquele mar de cartolas à sua volta.  Quiser ler, clique aqui

Desta vez, a Fifa se superou.  Em um andar superior da Tribuna de Honra do Maracanã,  estavam as autoridades: entre elas as presidentes do Brasil e da Alemães. Campeões e vice-campeões foram encaminhados para um patamar abaixo da tal tribuna, onde receberam os troféus das autoridades que estavam no tal andar superior.

Pelo que pude perceber, as autoridades, as mais importantes do mundo, desapareceram, em um piscar de olhos,  para alegria dos torcedores e câmeras,  e os jogadores foram comemorar o título centro do Gramado, de certa forma, compartilhando com todo o estádio e com as TVs do Mundo Inteiro.

Do jeito que a coisa vai, em alguma próxima Copa do Mundo, o troféu não mais será entregue após a final da partida final e sim pelo correio na Sede da Confederação de Futebol do País Vencedor.

O mundo se transformou nisso.   O mundo se cercou de insulfilme!!!